2.11 - Defesa e Promoção da Ciência Aberta

12. Defesa e promoção da Ciência Aberta

O que é?

A Defesa e promoção da Ciência Aberta em todas as suas áreas procura assegurar que as pessoas, particularmente as mais vulneráveis, sejam capazes de:
  • Ser ouvidas em assuntos que são importantes para elas. Advocacy significa dar voz a um grupo.
  • Defender e salvaguardar os seus direitos.
  • Terem os seus pontos de vista e desejos verdadeiramente considerados, quando são tomadas decisões sobre as suas vidas .
A advocacy inclui ações de defesa, influência, mudança, tomada de decisões, persuasão, fazer lobi e captar a atenção.
A defesa e promoção da ciência aberta foca-se no movimento para promovê-la a várias partes interessadas, realçando e reforçando as vantagens societais, profissionais e pessoais que traz.

Fundamentação

Ações de formação (workshops, seminários, apresentações) podem ser usadas como instrumentos de promoção da Ciência Aberta. A abordagem estruturada às práticas da defesa e promoção contribui para introduzir os principais temas, que o formador não deve esquecer, se a formação está ligada ao programa de defesa da Ciência Aberta. Como usar as estratégias de advocacy como instrumento para produzir mudanças específicas, e para desenvolver as competências básicas necessárias para aplicar os seus instrumentos (por exemplo, campanhas de propaganda, reuniões com os decisores políticos). A formação aqui é considerada como um instrumento para levar a cabo mudanças específicas e para criar uma comunidade que defenda a Ciência Aberta.

Objetivos de aprendizagem

  1. 1.
    Compreender o contexto e objetivos do programa de promoção e defesa da Ciência Aberta
  2. 2.
    Ser capaz de comunicar eficazmente com as audiências e chamar a atenção da comunidade para assuntos importantes, e direcionar as entidades decisoras para uma resolução.

Componentes chave

Conhecimento

Objetivos
EMART é um meio de o lembrar que os seus objetivos devem ser:
Específicos — com isto queremos dizer que precisa de estabelecer objetivos específicos para os seus programas
Mensuráveis — os seus objetivos devem ser mensuráveis.
Alcançáveis — o objetivo deve ser alcançável ou passível de pôr em prática.
Realísticos — o que também quer dizer credíveis.
Tempo-limite — e devem ser realizados e alcançados num determinado tempo limite
Os objetivos podem ser a longo ou curto prazo. Os objetivos a longo prazo, habitualmente, focam-se em mudanças de política ou prática das instituições, ao passo que os objetivos de curto prazo podem focar-se em mudança de atitudes, de sensibilização, conseguir colocar uma questão na agenda política, criar uma base de apoio ou ação para a mudança. Pode ser necessário alcançar alguns dos objetivos de curto prazo antes de atingir os de longo prazo.
Principais objetivos do programa de promoção e defesa da Ciência Aberta:
  • aumentar o nível de sensibilização entre os grupos de influência e do público
  • reduzir o estigma e os receios
  • comprometer as principais partes interessadas dentro da comunidade, que defenderão o desenvolvimento
  • expandir os grupos de defesa, incluindo voluntários da comunidade
  • mobilizar recursos para apoiar a implementação das principais (fundamentais) ações
  • manter o envolvimento dos decisores políticos e do público, com a disseminação da informação do que se alcançou à data, e os desafios futuros.
Passos para uma boa promoção da Ciência Aberta
  1. 1.
    Defina os seus objetivos
    i. O que precisa ser alterado?
    ii. O que queremos pedir? Mudança de legislação, política, regulamentação, programas, financiamento
  2. 2.
    Compreenda a sua audiência: diferentes estratégias para cada público alvo
  3. 3.
    Crie um perfil das partes interessadas no acesso aberto e das suas posições
  4. 4.
    Construa a sua mensagem: crie mensagens convincentes que sejam apelativas às partes interessadas
    i. Seja claro no que está a pedir
    ii. Mantenha-o simples e focado
    iii. Use linguagem positiva
    iv. Use evidências - os factos têm mais peso que indícios empíricos
    v. Os argumentos económicos são importantes
  5. 5.
    Planeie e desenvolva a sua comunicação e campanha de defesa
  6. 6.
    Identifique os método a utilizar:
    i. A advocacy é a construção de uma relação
    ii. As táticas mudam com a audiência alvo
  7. 7.
    Identifique Recursos e Lacunas
    i. Faça uma análise SWOT (strengths, weaknesses, opportunities and threats\, [isto é, forças, fraquezas, oportunidades e ameaças])
    ii. Aproveite os recursos e oportunidades existentes
  8. 8.
    Planeie os próximos passos, identifique objetivos alcançáveis que permitam desenvolvimentos futuros: estratégia/plano de promoção
  9. 9.
    Avalie a eficácia destas medidas regulamente.
Aspetos da promoção e defesa da Ciência Aberta
  • Defender os seus próprios direitos como autor
  • Defender os seus pares: escrever cartas e artigos defendendo a Ciência Aberta
  • Falar com os editores das revistas- estabelecer um diálogo sobre Acesso Aberto na sua área científica
  • Falar com os decisores políticos
Ferramentas e métodos
Indiretos: estimular os participantes para atuarem, para seu próprio benefício
Diretos: fazer lobi perante os decisores, representando terceiros
Fazer campanha: gerando uma resposta do grande público e usando uma variedade de técnicas tais como:
  • carta ou correio eletrónico em cadeia
  • artigos de opinião e cartas ao editor em jornais
  • newsletters
  • declarações de apoio de celebridades
  • parceria com os jornais, jornalistas e cineastas
  • boletins na web e discussões em linha
  • eventos públicas
  • campanhas de propaganda em grande escala
  • uso das redes sociais (Twitter, Facebook)

Técnicas

  • Escreva uma carta sobre o Acesso Aberto para um boletim ou fórum da sua sociedade académica
  • Faça o seu próprio modelo de resposta de correio eletrónico. apenas sobre a revisão de revistas em Acesso Aberto, etc. Reutilize/baseie-se nas já existentes.
  • Esboce soluções concretas e benefícios que a Ciência Aberta pode trazer para os problemas com que as administrações das universidades se debatem atualmente.
  • Encontre o seu grupo local de defesa e voluntarie-se para fazer parte dele!

Perguntas, obstáculos e equívocos comuns

Falta de interesse das audiências. Falta de compreensão das implicações da Ciência Aberta. A instituição, e/ou os gestores seniores, estão apreensivos com os resultados que os esforços de defesa e promoção da Ciência Aberta podem ter.

Resultados de aprendizagem

O formador deverá ser capaz de considerar a atividade de formação no contexto de um plano.

Leitura adicional

  • A Crowdsourced Resource by OpenCon attendees. Starting Open Projects From Scratch. CC Zero Google Doc
  • Bolick et al. (2017). How open access is crucial to the future of science. doi.org/10.1002/jwmg.21216 (comment by authors: rebuttal article written in the Journal of Wildlife Management after a misleading / fear mongering article about OA)
  • Clyburne-Sherin (FSCI2017). Advocating for transparency policies - a toolkit for researchers, staff, and librarians. github.com
  • JISC Pathfinder project Pathways to Open Access (n.y.). Advocating Open Access - a toolkit for librarians and research support staff. PDF
  • Jones (2015). Open science and its advocacy. fosteropenscience.eu
  • Kotter (n.y.). Kotter's 8-Step Change Model of Managementt. study.com
  • Lingua / Glossa articles on their move away from Elsevier - their advocacy as editors with a publishing organization [Wikipedia](https://en.wikipedia.org/wiki/Lingua_(journal))
  • Mozilla Science Lab (2015). Open Science Leadership Workshop. Working OpenProject Guide. github.com
  • Smith (2014). The Open Access Movement and Activism for the “Knowledge Commons”. asanet.org (comment by authors: example of a letter to a scholarly society advocating for Open Access)
  • Smith (2015). Defending the global knowledge commons. opendemocracy.net
  • SPARC*. Author Rights & the SPARC Author Addendum. Your work, your rights. sparcopen.org
  • Webinar Report: Organising and advocating (2018). How can early-career researchers make their voices heard? eLife ECRwednesday webinar. elifesciences.org
  • 8 Steps to Good Advocacy. PDF

Iniciativas e projetos